quinta-feira, 29 de janeiro de 2009


No topo em que me encontro o sol não brilha.
Mais abaixo pessoas caminham.
Suas faces reluzem, é o sorriso.
Amaldiçoei meu destino desde jovem.
O que Ele realmente espera de mim.
Caminharei sozinho até essa luz se extinguir.
Vocês retornaram, mas porquê?
O homem dentro da cela se aquieta, a loucura já o tomou por completo.
Por quê não vejo sorrisos nesse espelho?
No fim de tudo a dor é uma só.
Pior é saber que não tem como fugir.
Muitos apostaram, muitos perderam.
Com olhos cerrados observo o mar e solto palavras ao vento.
Onde estarão aquelas pessoas que tanto esperei?
Um marinheiro estende o braço num sinal de adeus aos seus sonhos naufragados.
Por tudo que lutei, por tudo que não aproveitei, alimentar simples sonhos e vê-los serem incinerados sem dó podem te transformar numa casca vazia.
Todos temos momentos ruins, mas por que ele findam sempre em me perseguir mais que o normal?
Queria não mais escrever sobre isso, mas estou percebendo que é minha sina.
Agora vou embora, a estrada está terminando, para um novo começo.
Ou abismo...


Uadi

2 comentários:

thamires disse...

A capacidade que o ser humando tem de ser reerguer é incrivel, agora depende da vontade própria de cada um, a dor no momento é inevitável, pensamentos sómbrios, mas não deixe que eles permaneçam, faça o sol brilhar novamente!
Erga a cabeça e aproveite a juventude para dar continuidade... o ano começou agora!
Supere, e cresça mais e mais!
não fale como se tivesse a vida perdida, olhe ao redor, e veja quanta coisa pior, de gente que nem se quisesse reverteria, mas voce não, voce pode! acredite em si, acredite no que é maior, sonhos de verdade não morrem!!

Danna disse...

Use o não que recebeu como arma de guerra, renasça quantas vezes for preciso, cada vez mais forte.
Sonhos não morrem, eles são parcialmente adiados.