quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Auto proclamação.


Duro é pensar nesse retorno de minhas angústias e ainda mais saber que elas nunca tinham se desvencilhado de mim.
Há incertezas em minhas alegrias, mal sabia eu que toda escalada é seguida de uma descida ao poço mais cru.
Ter cogitado uma evolução foi mera utopia.
O sentimento temeroso a morte me é inerente, não obstante passo a encará-la com mais serenidade.
Emancipar-se de meu lado pessimista e realista seria negar o meu eu, isso toma forma de praxis, a máscara de um carnaval esquecido, no entanto esse bloco sempre há de voltar.
Indago-me sobre certas (ou não) angústias, e nem adianta apelar para o arrependimento, pois foi desse jeito que me auto proclamei poeta, de risos e dores, sonhos e amores, vida e algo além, os motivos que moveram-me a voltar a escrever não foi dos melhores (pra variar) mas eis que vejo a cada pensamento e frase construída um ser que deleita-se nestas mesmas frases pra se revelar.
Um ser chamado Eu.

Uadi

2 comentários:

Diego_xyz disse...

Boy, deixe o tempo dizer como as coias vão se desabrochar...

Thatá, ué! ;) disse...

Nooossa.. q retorno eem?!
as palavras estavam tão ''pesadas''
teve umas q eu nem entendi ;p

ushauhsuahs

mas enfiim.. eu não sei o q se passa.. mas torço que dê tudo certo, como sempre vai dar.. de verdade ^^

Fica de boa, Powerful juba =D

A vida é bela, por que é vivida no hoje, quando apresentar feiura é por que já está no passado ainda não notado.

o/