sexta-feira, 24 de abril de 2009

Apatia rotineira


Acordar, tomar café, se arrumar para a labuta, esperar na ânsia conformada até adentrarmos o famoso coletivo.
Presenciar da janela mais um dia.
Se estou aqui, é só mais um dia.
Ao acordar, é só mais um dia.
Ao caminhar, é só mais um dia.
Sem desejo de mudar, é só mais um dia.
E com isso o sistema se fortalece.
E te consome aos poucos como uma droga viciante.
Mas pra você, é só mais um dia.
Do topo, eles estão só a rir.
Como você, pra eles é apenas mais um dia também.
Mais um dia que você ao não perceber tem sua cara contra a parede, pressionada a cada segundo.
Eles não descansam, a dor nem os atinge, é só mais um dia de diversão.
E de muito estorvo pra quem com isso cotidianamente convive.
Calados vivemos.
Pra que reclamar, a solução pros nossos olhos estão num fim de semana num shopping qualquer ou em bares de qualquer esquina.
A política do pão e circo vigora pra sempre.
E pra quem não vê e nem ao menos se esforça pra entender em que caótica situação vivemos disfarçada em uma bela estrutura que te faz viver.
Só mais um dia.

Uadi

2 comentários:

Thatá, ué! ;) disse...

Caraca! Curti muito o texto! ^^
A alegria é 'concreta' feito um shopping ou um bar =]

Se não percebemos nada em todos os dias, realmente a lavagem está completa. Eu ainda consigo admirar o céu, sentir o vento, sonhar e ouvir meu som enquanto estou num coletivo :p (se eu não estiver sendo esmagada ou em pé, sendo pisoteada ¬¬)

Danna disse...

E amanhã será mais um dia e depois de amanhã também...

Análise do texto:
Um pingo de critica num mar de arte!
Eu gostei.