sábado, 11 de outubro de 2008

Doce riso estranho


Creio ter encontrado minha verdadeira máscara.
Ela está envolta de sarcasmo e ironia.
Encontrei um bem em todo mal que acontece.
Vamos sorrir, afugentar as mazelas, mesmo que estejamos cheios delas.
Na prisão escura que se esconde em meu ser, há um homem no canto de uma obscura cela.
Nela nada se enxerga, apenas se ouve um riso sádico e desnorteado, que não pende para nenhum sentimento.
O riso de um ser conformado, talvez um profeta que vive a rir de futuros fatos.
Ele desperta para tentar amenizar aquele sentimento de angústia profunda, aquele que costumamos ter quando achamos que tudo está perdido.
É realmente um sentimento estranho, mas ele nos toma e vai nos preenchendo a cada minuto que passa.
Já que temos de suportar as dores mais pesadas causadas por alguém que não somos nós mesmos, vamos rir de toda essa desgraça, a loucura ideal para mim seria essa.
A pergunta que fica é: Qual a solução a se tomar quando o riso não for o bastante para segurar a dor?


Uadi

5 comentários:

Silvia /('.')\ disse...

parece simplista minha resposta, mas acho que não devemos segurar a dor, nem qualquer outro sentimento, devemos deixar vir atóna, "sorrir amarelo" as vezes, pra convencer ou enganar os outros, sei lá, qual motivo possa ter,pode até ter seu efeito, mas não nos conduz a uma certeza e sinceridade que devemos ter também perante aos "outros, entende? máscaras todos nós usamos, é questão de sobrevivência, ou adaptação, fingimento já é falta de caráter, ser dissimulado tb.
é que fomos criados a esconder nossas tristezas como se isso fosse algum mal, ou doença, mas não é! tristeza é um sentimento como outro qualquer, e é inerente ao ser humano. tristeza não faz mal. e tristeza é diferente de depressão. como solidão é diferente de depressão.
como você mesmo disse: doce riso estranho, vê como a tristeza é bela? senão não seria doce, rsrsrs
enfim, eu ficaria horas aqui te escrevendo, porque isso é relativo.
mas entendo, que se sente triste, e eu também me sinto, quando temos que "ir levando", nos conformando diante nossa angústia.quando percebemos que estamos rindo de coisas que não iríamos rir se estivéssemos sozinhos.
ou quando estranhamos nosso riso, porque estranhamos a nós mesmos.
sua verdadeira máscara não pode ser esta!

Silvia /('.')\ disse...

uadi, me perdoa se não entendi ao certo o que escreveu, estou apenas tentando saber quem vc é,ou tentando entender, através do que vc escreve! :0].
se errei, me diga, por favor.

Silvia /('.')\ disse...

uadi, não sei se vc sabe, mas tenho outro blog:
http://silvia-meujardim.blogspot.com/
caso queira ver. será bem-vindo neste tb.

Silvia /('.')\ disse...

:] adorei... "estaria errada a pessoa que pensa que sou o que escrevo" é isso mesmo Uadi.
mesmo nesta dualidade, porque somos, mas não é só isso. porque não cabemos num poema. o que cabe no poema é só uma gota de nós que se derrama.

_tHaTááá disse...

Siiimata!!! ;P