segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

As 7 faces de um sentimento singular


Não sei o que se passa, só sei que se passa
E tudo que eu quero viver o presente,
Sem pensar em futuro, sem pensar em passado
E as horas também neste velho relógio vão passando,
Ponteiros caminham lentos para saciar sua fome de comer o tempo
A vida é tão curta pra pensar em banalidades,
Eu quero mesmo que o tempo passe,
Eu quero mesmo é que nada disso se acabe,
Caminho pelas ruas e vejo pessoas aéreas
Vejo tantas coisas pelas ruas,
Mas não vejo aquilo que quero
As respostas que são acobertadas por sombras de dúvidas
Dúvidas... Minhas, suas, nossas dúvidas.
Que vez ou outra insistem em atormentar
Procuro algo para me desanuviar
Procuro algo que seja só meu,
Algo que não me persiga
E a solução eu acho que tenho,
A solução não é saber o porquê é ter.
A medida do ter nunca termina, a cobiça humana sem dúvida é a progenitora
da dor humana
Dor que também nunca termina, parece que o Amor e a Dor estão
Eternamente atreladas
A casa do amor é alugada a outros sentimentos inquilinos, acontece muito
Alguns deles moram por lá só pra manter a discórdia
Mas quando isso é muito, é preciso que o dono da casa volte, eles findam por
Voltar sempre
O dono nem sempre prevalece, mas sempre está dando tudo de si
É porque vez em quando fazem dele cabra-cega, perdoa
No fim das contas, ele é que começa e termina as coisas.
Sentimento uno, sem dúvida, finda sempre sendo causa de tudo
Causa até mesmo de desavenças, sendo ele tão perfeito
Abstrato, medonho, fiel, desleal, traidor, assassino, romântico
Tudo isso o define, E ele define tudo Isso.

Danniele e Uadi

3 comentários:

_tHaTááá disse...

Putz! do caramba! pra naum dizer outra coisa ;P

parabééns dupla. ^^

Danna - A Escapista... disse...

Eu ainda não acredito que saiu tão bom assim. =D

Diego_xyz disse...

Realmente, ficou muito bom, tão de parabens!!

Tem sentimento nesse texto...